Arquivo mensal: junho 2009

ROGERIO SENA

Vi hoje com muito orgulho, a reportagem com o Rogério Sena no caderno Cultura do Estado de Minas, informando que ele ganhou o prêmio maior em Piracicaba de artista primitivo.
Rogério começou suas primeiras exposições na Feira Nacional de Artesanato, se não me engano de 1999 ou 2000.
Ele apresentava seus trabalhos através do Centro Arthur Bispo e sempre tive o maior respeito por ele, apesar de muitos o olharem como doido ou louco, por ele já ter sido internado muitas vezes.
Ele sempre disse que gostava muito do Centro Cape e Mãos de Minas, pois lá todos o tratavam como uma pessoa normal e não como um doido. Eu brinco sempre com ele, pois muitas pessoas às vezes também me taxam como doida e louca e eu digo que nos, loucos, somos muito mais sinceros e despojados. quando alguém me diz: Tânia, voce é muito doida! Eu respondo, sim…mas não se preocupe, que tomo remédio controlado todo os dias…
So fico muito brava com ele, quando ele chega “cachaçado”. Se noto que tomou cachaça, me recuso a conversar com ele…ele pede desculpas e fala que tinha bebido “so um pouquinho”.
A lógica deles me encanta…na Feira Nacional, quando o pessoal da saude mental chega (normalmente, hoje apoiamos uns cinco ou seis movimentos com stands gratuítos), os seguranças das roletas já sabem que não podem recolher os convites, pois quando tentam fazer, todos respondem: não, não vou dar este convite, pois ele é meu…foi dona Tânia que me deu…Não é obvio? Se dei o convite para ele, por que o segurança tem que pegar!
Agora, a reportagem fala muito de preconceito…e achei engraçado foi o marchant que o descobriu “num evento no Minascentro…”. Poxa senhor marchant! poderia ter dito, na Feira Nacional de Artesanato no Minascentro! Tem muita gente ligada a arte que tem vergonha de dizer que frequenta feira de artesanato, pois poderá parecer que não esta indo nos melhores salões de cultura…Olha, a Feira Nacional de Artesanato já propiciou que centenas de artistas tipo o Rogério tivessem a possibilidade de serem descobertos no mercado das artes. Veja o caso da Nene Cavalcanti da Paraiba. A primeira feira que ela participou, parecia um bicho do mato! No ano passado fiquei impressionada com os cuidados que ela tem agora com sua pessoa, depois que descoberta a beleza de suas peças, hoje ela tem produtos espalhados pelo cinco continentes…
Leonardo Bueno é outro caso que começou num pedacinho de chão em 2004 e hoje é artista renomado e de respeito.
Parabens Rogério, voce merece! E continue a ser esta pessoa sensivel e observadora que voce sempre foi.

Anúncios

FORNOS DO VALE

Em 2004, se não me engano, conseguimos um recurso com a Aid to Artisans, para financiar a construção de um forno no Vale do Jequitinhonha.
Lá, esta questão do forno sempre foi um problema, pois possivelmente dezenas de projetos foram feitos para que os artesãos locais tivessem um forno digno (normalmente eles fazem um buraco no chão, colocam as peças, lenha em cima e ai existe uma grande perda, além das ceramicas ficarem frágeis, por terem tido uma queima desigual).
Chamamos então o Godoy, um professor super simpático e acessível da Universidade Federal de São João Del Rei que ficou quase que dois anos trabalhando com o pessoal de Santana de Araçuai no desenvolvimento do forno.
Queríamos que fosse algo, onde a comunidade fizesse o seu desenvolvimento e aí o know how ficasse com eles e depois qualquer um pudesse dar continuidade.
O forno teria que dar uma temperatura de 1.000o graus constante e em todos os niveis.
Assim o Godoy desenvolveu com a comunidade desde os tijolos refratários, até a fôrma para a construção do forno.
Foram pelo menos uns tres fornos que despencaram…até que a comunidade assimilou a técnica e o forno final ficou pronto.
Para o teste da queima, eles tinha que colocar os produtos dentro, é obvio, para que fosse testado. Aí ninguém queria colocar produtos com medo do forno cair de novo e eles perderem as peças. Tomando o conhecimento disto disse: ok. quando as peças ficarem prontas quanto elas vão custar? Me deram o preço e então eu disse, ok; to comprando. elas são minhas…se o forno cair, o prejuizo é meu…
Fizeram a queima e foi tudo perfeito…as peças queimaram a 1.000 graus, nao perdeu nenhuma e ficaram super fortes.
Quando fui cobrar as peças, eles me informaram que tinham desistido de vender…rsrsrs… tudo bem, meu objetivo não era comprar as peças, mas garantir que eles colocariam as peças no forno.
Quando o projeto encerrou, pedi ao Godoy que manualizássemos tudo de forma que ficasse registrado e de dominio público…
Não tivemos na epoca dinheiro para isto…
Agora, fiquei sabendo que o Godoy não esta bem de saúde e aí passou o know how para um professor da Universidade de São Jão Del Rei e este professor quer cobrar R$ 25.000 por uma consultoria para instalação de um forno.
NEM PENSE NISTO, SENHOR PROFESSOR, ESTA TECNOLOGIA PERTENCE AOS ARTESÃOS DO VALE DO JEQUITINHONHA E FORAM 100% FINANCIADAS PELA AID TO ARTISANS E O INSTITUTO CENTRO CAPE!
NAO VOU ADMITIR QUE ISTO ACONTEÇA E SE PRECISO, CHAMO A IMPRENSA E DENUNCIO ESTA APROPRIAÇÃO INDEBITA DE UM DIREITO DO POVO DO VALE!

DÍVIDAS…

Era uma vez, uma comunidade que estava toda endividada…Todo mundo estava devendo para alguém.
Um dia, chegou um turista no hotel da cidade, perguntou quanto era a diária completa para ficar lá uma semana e o dono do hotel disse que eram R$ 1.000,00.
O turista, pagou então adiantado, deixou as malas na recepção e decidiu fazer uma passeio pela cidade.
O dono do hotel, então, todo satisfeito, mais do que nunca pegou o dinheiro e foi pagar sua dívida com o dono da padaria e do acougue.
O dono da padaria que recebeu R$ 450,00, correu e pagou ao açougue R$ 200,00, na lojinha da esquina R$ 100,00 e no salão de beleza R$ R$ 150,00.
O dono do açougue, que recebeu R$ 550,00 do dono do hotel, R$ 200,00 da padaria, mais do que depressa, foi a Prefeitura e pagou seus impostos atrasados, R$ 500,00 e mais R$ 250,00 no bar da esquina.
O bar da esquina, devia para Seu Antonio e quitou a sua divida de R$ 250,00.
Seu Antonio, devia IPTU e foi correndo pagar na Prefeitura.
A Lojinha também devia IPTU e foi correndo pagar a Prefeitura…
O Salão de Beleza, devia a taxa da placa do salão e foi correndo a Prefeitura quitar sua dívida.
A Prefeitura, que devia ao Dono do Hotel R$ 1.000,00 de um evento que tinha realizado, como entrou o dinheiro extra, correu para quitar sua dívida.
Nisto o turista volta e diz que não ia mais ficar na cidade e pediu para que o Dono do Hotel devolvesse o seu dinheiro, que ele, que tinha acabado de receber da Prefeitura, o fez imediatamente.
Assim, no final do dia a comunidade tinha pago todas as suas dívidas…

FARMACINHA

Como viajo muito, tenho na minha bolsa uma farmacinha. Lá tem remedio para dor de cabeça, barriga, enjoo, alergia, azia, muscular, prisão de ventre, coceira, febre…Não é muito, mas uns tres ou quatro comprimidos de cada.
Isto já salvou muita gente…
Um dia estava voltando do nordeste e de repente um passageiro na minha frente chamou a aeromoça e pediu um remédio para enjoo. A aeromoça disse que não tinha então eu ofereci um Plasil…Passadas algumas horas de voo, o passageiro atras chamou a aeromoça e pediu um remedio para dor de cabeça, quando ela evidentemente falou que nao tinha…então ofereci um Ormigrem ou uma Neosaldina. Quando terminaram o serviço de bordo, o passageiro no meu lado me falou: não é por nada não, mas voce não tem ai um remedinho para azia? e lá tava eu dando uma magnésia bizurada…
Já teve um que levou um trumpicão ao entrar no avião e adivinhe quem tinha um Benzerol para ele tomar?
Tenho amigos que quando viajam comigo não levam nenhum remédio confiando na minha farmacinha…
Ja salvei gente tendo ataque cardiaco em avião, com aquele remedinho de por debaixo da lingua…
Não sou hipocondríaca, muito pelo contrário…minha farmacinha é somente prática, pois assim quando arrumo a mala, nao tenho que me preocupar em levar remédios básicos.

ESTATISTICAS

Hoje no avião, me lembrei de um caso acontecido há muitos anos atrás…
Estava indo para Brasilia, quando sentou ao meu lado um amigo de infancia que nos encontramos no aeroporto.
Quando o avião levantou voo ele me pediu: Tania, será que voce segura na minha mão? eu espantada falei…o que esta havendo? Voce e eu estamos muito bem casados. que historia é esta? ele se desculpou e explicou: olha, eu estava naquele avião que tentaram jogar em cima do Sarney e acabou descendo em Goias, voce se lembra? eu disse: sim…Pois é…Depois daquele dia, tive que fazer sonoterapia e li tudo sobre estatisticas de acidentes que podia ver e segundo as estatísticas, a chance de acontecer comigo outro incidente aereo era zero num período de …. meses ou anos (não lembro mais…). Neste período viajei pra tudo quanto é lugar e nem liguei. So que o prazo venceu ontem e eu estou em pânico! ele coitado, suava que nem tampa de chaleira e eu fiquei entao segurando a sua mão. Quando o avião chegou em Brasilia tinha que descer e ele ia continuar viagem para o norte do país. Me desculpei e disse que agora ele tinha que arranjar outra pessoa para segurar a mão dele…
É isto mesmo…a cabeça da gente é uma caixinha que as vezes não temos controle…Eu adoro ler horoscopo…todo dia pela manhã ta lá eu consultando os astros…quando eles dizem que esta tudo bem, ótimo. Quando dizem que pode acontecer alguma coisa, passo o dia tensa ou entao procurando em outros astrais uma noticia menos ruim para compensar aquela que nao foi boa.

xuxa

Estamos nos preparando para a realização da CEFERÊNCIA, que será o encontro de facilitadores da metodologia CEFE da América Latina, Central e Caribe, além da Africa portuguesa.
Serão 250 facilitadores de mais de 20 países que estarão reunidos durante a Feira Nacional de Artesanato para que, durante sete dias, possam discutir com os gurus do CEFE Mundial os caminhos da metodologia nos mais de 100 países onde é aplicada.
Como o idioma será o portugues e espanhol, me lembrei de um caso uma vez em Santa Catarian quando facilitadores de toda a América se reuniram para discutir desenvolvimento local.
Fui com o Marco Aurelio que na época trabalhava no Sebrae. Tinha uma consultora da GTZ que era de El Salvador que era a cara da Xuxa. O Marco Aurélio todo prosa, chegava perto dela e dizia: olha voce é a cara da Xuxa, olhar para voce é o mesmo que ver a Xuxa, menina…já te falaram que voce e a Xuxa são iguaizinhas? E cada vez que ele falava ela fechava a maior cara prá ele…e ele insistindo…até que, lá pelo terceiro dia do encontro alguém chega perto dele e disse: voce sabe o que quer dizer “xuxa” no espanhol da América Central? E ele…não!!!, então recebeu a resposta: Xuxa e perereca, breuba ou perseguida é a mesma coisa…
Neste dia aprendi uma série de curiosidades liguisticas…vestir a casaca…xuxa…caramujos…etc

DISSIMULAÇÃO…

Sempre falo que meu maior defeito é minha maior qualidade (ou será que é o contrário: minha maior qualidade é o meu maior defeito!): sinceridade!
Fico boba como muitas pessoas são simuladas, falam uma coisa na frente e pelas costas falam outras…
E falar mal uns dos outros então…Na frente, morrem de amores…voce vê e jura que são amigos inseparáveis…quando viram as costas, metem o pau…
Eu não sou assim…por isto tenho uns poucos amigos sinceros e muitos conhecidos dissimulados. As vezes falam que sou muito dura, mas as pessoas confundem dureza com sinceridade. Se não estou gostando por que vou dar um sorriso falso e fingir que esta tudo bem? Lembram-se da poesia que publiquei?
“Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo, de início , minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama….
Amor –próprio”
Não gosto e não quero conviver com falsidades.
Já vi gente que para chamar a atenção, inventou dor na perna, esqueceu que perna era e começou mancar com a perna errada…
Já vi gente que borrou o olho com rímel preto para falar que estava com olheiras e muito mal…
Ja vi gente dizer que odiava uma pessoa e no final de semana saiam juntos…
Eu não sou assim…quando o ocorrido não interfere na minha vida ou a pessoa não é importante, simplesmente ignoro.