Arquivo da categoria: ARTESANATO

Meu Deus! Porque muitos desvalorizam seu produto?

Já vi muito produto lindo, onde o artesão na hora de vender embrulha num jornal velho e coloca numa sacola usada de supermercado.

Já vi muito produto feio, numa embalagem super criativa, ser vendido so por causa da apresentação.

Embalagem é tudo…Não precisa ser cara, mas tem que ser adequada. Não adianta uma peça de cerâmica, numa sacola de plástico. Tem que ter uma caixa para ela.

Em breve voce poderá baixar aqui, o MANUAL DE EMBALAGEM, e veja como é fácil resolver com coisas de fácil acesso.

Caixas? Se for material leve e pequeno, você mesma faz com cartolina, uma tesoura e uma régua.

Se for material pesado, e não for muito grande, você pode usar o papelão ondulado mas ai vai precisa de uma faca Alfa para cortar.

Você pode usar também caixas usadas de lojas e supermercado, descola-las e vira-las ao avesso.

Voce pode também ir no You Tube e pesquisar COMO FAZAR EMBALAGENS PARA ARTESANATO. Vai aparecer lá milhões de ideias fáceis de fazer e copiar.

Etiquetas – lembre-se que a pessoa que esta recebendo o seu produto, caso seja presente, muitas vezes quer saber de onde veio, quem fabricou, onde mora.

Se você vender para lojista, não coloque na etiqueta site e telefone, pois os lojistas não gostam. Coloque somente a sua marca (ou nome) e cidade.

Agora se você vende no varejo e em feiras, coloque também seu site, instagran, face, telefone, etc, pois as pessoas vão querer lembrar depois de quem compraram aqueles produto.

E aí você fortalece também a sua marca.

Volto a falar – Não precisa contratar uma empresa de design para fazer a sua etiqueta e uma gráfica para produzir, caso você não tenha dinheiro. Faça internamente mesmo no seu computador. No You Tube você acha um monte de dica de como fazer etiquetas. É so clicar “Como fazer etiquetas em casa” que aparecerão uma série de vídeos para você.

Ninguem pode dizer que não tem condições de embalar ou mesmo etiquetar o seu produto.

O Centrocapeonline também tem um curso lá para você. Lembre-se é gratuito.https://www.youtube.com/watch?v=CwUE1BvVHAY

Anúncios

Meu maior problema é comercialização!

Video: https://www.youtube.com/watch?v=qbLxXCYFaQ8

Mentira – comercialização não é problema – comercialização é solução!

Voces tem que analisar o porque não estão atingindo o resultado positivo da comercialização!

Vamos lá…vamos focar no cliente…

Quem é o seu cliente?

Quem é o seu concorrente que esta conseguindo atingir ao cliente e você não está?

Como esta o posicionamento de seu produto no mercado?

Onde o seu cliente pode te achar?

Este é o grande problema.

O artesão fabrica um produto, muitas vezes lindo, mas com um preço totalmente fora da realidade.

Um artesão fabrica um produto que o mercado esta saturado dele, ou seja, existem milhares de pessoas vendendo um produto igual.

Um artesão quer vender obras de arte, numa loja de departamento, ou então quer vender produtos em série para uma galeria de arte.

Pense então: que cliente quero atingir? Varejo? Atacado? Exportação? Os três?

O ideal é focar num mercado.

Então mãos a obra as pesquisas. Entre no Google, coloque o nome de seu produto e veja onde ele é vendido? Por quanto é vendido? Quantos produtos similares existem tais quais os seus? O que seu produto tem de diferente deles ou o que poderia fazer para torna-los diferente?

Pense com a cabeça de seu cliente. Por que alguém vai querer este meu produto? Onde ele pode usar ou colocar?

Ai você tem que começar a divulgar. Instagran, Face Book tem sido hoje grandes ferramentas de vendas. Lojas de e-commerce também são uma boa opção –mas cuidado com o mercado que você quer atingir…Se for um mercado mais sofisticado, não coloque nos sites mais comerciais tipo mercado Livre ou Elo7.

Vá atrás de seu cliente. Coloque fotos bem produzidas (fotos bem produzidas não querem dizer caras, mas com uma boa iluminação e sem interferência de outros objetos). Lembre-se do que falei sobre pense com a cabeça de seu cliente.

Participe de feiras menores, bazares e outras apresentações, mas não se esqueça de levar sempre o seu cartão. Como já disse, não precisa ser caríssimo feito em gráfica em papel 250 gramas. Faça no computador mesmo, colocando uma referencia sua, seu endereço, seu email, seu zapp, seu face e instagran.

Outra forma de vender, caso você não tenha uma loja,  seria fazer parcerias com lojas que você tem interesse e colocar os produtos em consignação.

Liste as lojas que você tem interesse. Veja se tem algum artesão conhecido seu que coloque produtos lá, se tiver pergunte a ele como é a loja. Se pagam direitinho. Se tratam os produtos com dignidade (e não colocam de qualquer jeito em qualquer canto).

Escolhida a loja, entre em contato com o gerente. Leve amostras de seus produtos e diga a ele o seu interesse de colocar os produtos em consignação. Com jeitinho, peça ao gerente para determinar um espaço na loja, mesmo que seja somente uma prateleira para que você possa deixar os produtos e toda semana volte para ver o que esta vendendo e o que não esta. Para aqueles que não estiverem vendendo proponha ao gerente que você vai trocar por outros.

Mas, começe com poucos produtos e vá aumentando de acordo com a aceitação dos produtos pelos clientes e pelo dono do estabelecimento. Cuidado também com o cano! No inicio, até ganhar confiança, peça para receber semanalmente. Assim você vê a saída dos produtos e se o lojista vai acertar com você direitinho. Na proporção que a confiança for crescendo você pode aumentar o numero de produtos.

Esta é uma boa saída. Afinal os produtos estão parados na sua prateleira. É melhor que esteja na prateleira do lojista onde o cliente vai.

Prometeram pagar meu stand na Feira Nacional e agora disseram que não vão pagar mais. O que eu faço?

Pois é…é véspera da feira e agora você não tem dinheiro para pagar a vista!

Sempre alerto aos artesãos desta eterna dependência do Estado, do Sebrae e de empresas.

Mas se um grupo de artesãos planejar com antecedência, vai conseguir participar da Feira Nacional sem depender de terceiros.

E vá lá que o terceiro, resolve realmente pagar um espaço para vocês no final. Ótimo. Vocês ficam com dois espaços, e terão o dobro de chance de vender.

Mas como planejar…É muito fácil e depende do compromisso de todos os envolvidos.

Veja bem, a Feira Nacional em janeiro custa R$ 400,00 o m2.

Um stand de 9m2 vai custar R$ 3.600,00. É muito dinheiro! Lógico que é!

Mas, comprando em janeiro, vocês podem pagar de 10 vezes, ou seja – R$ 360,00 por mes.

Se for um grupo, por exemplo, de 5 artesãos, o valor será de R$ 72,00 cada um.

Assim, cada um paga R$ 100,00 por mes!!! Como R$ 100,00, se o custo é R$ 72,00!

Lembre-se que quando for a data da feira, vocês terão despesas com o frete de produtos, com passagem, hospedagem e alimentação de quem for para a Feira.

Assim, cada um fará uma poupança de R$ 28,00 por mes, que dará num total de R$ 280,00, que poderá pagar o frete dos produtos e ajudar nas despesas de viagem.

Se puderem poupar mais, melhor ainda, pois assim, todas as despesas ficam pagas.

Mas, na realização da feira vocês tem que fazer mais uma coisa. Pegar 10% do valor da venda que todos fizeram para dar de sinal para a feira do ano seguinte. Assim, o valor ficará menor na poupança do próximo ano.

Para minimizar custos, vocês podem também procurar a prefeitura e empresas da sua cidade, demonstrar o esforço que vocês estão fazendo e ver se eles não podem ajudar, por exemplo, no transporte dos produtos.

Veja o video a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=yk5-IOx2Mf0

Agora, tem mais umas coisas importantes quanto as feiras:

ANTES

– Providenciar um cartão com os endereços de vocês. Pode ser individual (ideal ou do grupo. Não precisa ser nada chic. Pode ser um xerox mesmo. Mas o cliente tem que saber onde encontrar vocês depois.

DURANTE

– ter no stand um livro der vistas. Quando vier um cliente e principalmente ele for um lojista, peça um cartão dele e anote o tipo de produto que ele tem interesse.

– neste livro, vocês podem também incentivar os visitantes a colocarem os seus dados, nome, email, telefone e produtos de interesse.

DEPOIS

– após a feira, mandem um email para quem deixou os dados com vocês agradecendo a visita. Isto fica muito simpático e este cliente com certeza lembrará sempre de vocês.

ARRUMAÇÃO DO STAND

Por favor, nada de coisas entulhadas em cima uma das outras. Não misture comida, com roupas, com objetos, etc. Tente arrumar o stand de forma harmônica, com cada prateleira com uma linha de produtos. Quem quer comprar objetivos, não quer ver comida…

Outra dica – todo dia troque tudo de lugar! As pessoas visitam a feira muitas vezes mais de uma vez. Assim, quando você troca as coisas de lugar elas vão achar que tem produto novo.

No mais, aproveite a feira para fazer uma pesquisa de produtos.

  1. Quantos stands tem produtos similares aos seus?
  2. Como é o preço destes produtos?
  3. Como estes produtos estão embalados?
  4. Cores, tamanhos, compare tudo…

Tem gente que me escreve informando que não vendeu bem na Feira Nacional e que tinha muito produto similar ao seu. É verdade…agora porque os outros estavam vendendo o você não? O que eles tinham de diferente? Como estava a montagem do stand deles? Como eles recebiam os clientes?

CELULAR!!!! Não há nada pior do que olhar pra dentro de um stand e os vendedores estarem com o celular na mão lendo ou passando mensagens! Eu não entro em stand assim, até porque na Feira Nacional você tem 1.100 opções de stands, por que vou entrar num stand que o vendedor esta mais preocupado com as redes sociais do que comigo.

Uauuu, o lojista comprou meu produto por R$ 10,00 e agora vi que esta vendendo por R$ 25,00!!!

Meu Deus, como já escutei esta frase?

Sempre que escuto pergunto: por quanto você vendia? Por R$ 10,00? O lojista te pagou o que você pediu?

Pois é…a partir do momento que ele te pagou, o produto é dele! Ele pode quebrar, dar de presente, sujar, enfim pode até vender. O produto é dele e ele faz o que quiser com ele.

Agora, o que as pessoas não pensam é que o Lojista é uma empresa COM FINS LUCRATIVOS, ou seja, ele tem a loja para GANHAR DINHEIRO.

E ele tem um monte de custo…

Vamos lá…

Frete com o produto                                                                                                                                 5%

Custos administrativos – contador, aluguel, funcionários, agua, Luz, telefone, iptu, condomínio,                                                                                                                                             20%

Despesas com cartão de crédito ou debito                                                                                       3,5%

Comissão de vendedor + obrigação social s/comissão                                                                  10%

Despesas com embalagem dos produtos                                                                                          5%

Quebras, roubos, perdas                                                                                                                         3%

Resultado percentual                                                                                                                          46,5%

Se ele compra por R$ 10,00 e vende por R$ 25,00, o percentual de 46,5% tem que ser aplicado em cima dos R$ 25,00, que vai dar R$ 11,62, que se somados aos R$ 10,00 do custo do produto, chegamos em R$ 21,62, ou seja, o lojista tem um resultado final de R$ 3,37 na venda daquele produto.

Mas isto, se ele vender rápido…Se o produto ficar na prateleira por mais de 90 dias, tem que somar aí o custo do capital de giro que se barato, custa 3% ao mes…e tire mais R$ 1,00 do lucro…

Então, nunca diga que o lojista esta te explorando, pois esta não é a verdade.

Outro grande problema é você concorrer com o seu maior cliente que é o lojista. É ele que te compra volume, te paga a vista (na maioria dos casos) e tira o produto da sua prateleira e coloca na dele.

Aí o que acontece? Voce pega o mesmo produto que vendeu para o lojista por R$ 10,00 e coloca para vender nos sites de e-commerce por R$ 12,00 ou R$ 15,00.

O cliente que entra na loja do lojista e vê o produto por R$ 25,00 e no seu site por R$ 15,00, vai também dizer que o pobre do lojista esta roubando ou explorando…

Resultado – o lojista vai parar de comprar de você!

Então pare de concorrer com o seu maior cliente! Separe da sua linha de produção uns 5 a 10 produtos (dependendo do tamanho da sua linha) e venda estes produtos somente no atacado. Avise para seus lojistas que aqueles produtos somente serão vendidos a ele e faça uma boa parceria.

Se o lojista não comprar, troque os produtos por outros ou pergunte ao lojista quais os produtos que ele tem interesse.

Faça do lojista o seu parceiro e não o seu concorrente…

Veja o vídeo a seguir sobre o depoimento de dois grandes lojistas brasileiros.

https://centrocapeonline.org.br/publico/depoimentos

Por que a grande maioria das associações de artesãos não funciona?

Artemis e seus amigos

Primeiro, para se associar, as pessoas tem que entender que a associação não foi criada para atender aos desejos dela, e sim de um grupo que se auto ajuda.

A grande questão é que uma liderança decide que vai juntar um grupo de pessoas e criar uma associação…No artesanato, principalmente, esta associação é criada para vender os produtos dos artesãos. Ai começam os problemas…

Vamos a montagem da loja…precisa de um espaço, este espaço tem que estar iluminado, tem que ter prateleiras, mesa, placa na frente, banheiro limpo e que funciona, pensar no material de embalagem, pensar num contador, buscar um cnpj, Inscrição Estadual, ver a forma de tributação, quanto vai se pagar de ICMS ou so vai vender no varejo. Mesmo no varejo, precisa de nota fiscal para a entrada dos produtos e para a saída em vendas.

Para ter nota fiscal, tem que ter CNPJ e Inscrição Estadual – sua entidade tem?

Vai ter cartão de crédito? Vai ter instagran? Vai ter face book? Quem vai fazer a manutenção do instagran e do face book? Vai ter um site? Quem vai fazer? Quem vai atualizar?

Vai ter uma copa? Geladeira? Fogão para um café? Falando em café…copo descartável ou de louça? Açucar? Colher? Coador? Material de limpeza?

Quem vai vender? Vai ser rodizio? Como ficam as escalas?

Pois é…por mais boa vontade que o grupo tenha, tem uma lista enorme de tarefas a ser feita ANTES, DURANTE e DEPOIS quando a loja estiver pronta.

O primeiro passo é fazer um PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO e FINANCEIRO. No Planejamento estratégico vocês vão listar tudo o que precisa, quem vai providenciar, quando será usado e quantificar. Quanto vai custar, se é custo inicial de investimento ou se será custo fixo mensal. Pode ser também somente custo de venda…

Antes de começar, dê uma olhada no Video:

qhttps://www.youtube.com/watch?v=SyuOH5nBCsQ&index=9&list=PLFBqq8sogS49OzIX0uQnVLBpVHbTq6B5q

Clique abaixo e vá aos cursos gratuitos do Centrocapeonline.

https://centrocapeonline.org.br/publico/cursos/#FA%C3%87A

FAÇA SEU PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO e logo após

FAÇA SEU PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Pronto, agora você sabe o que tem que ser feito e quanto vai custar.

Mas ainda precisa de algo: REGIMENTO INTERNO OU REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO.

Como você já sabe quanto vai custar por mes, saberá qual será o valor da mensalidade de cada associado para cobrir os custos fixos e o percentual sobre as vendas, para cobrir os custos variáveis.

Sim, as regras devem ser estabelecidas ANTES de criar a entidade. Assim, as pessoas vão saber realmente como vai funcionar, o que vale e o que não vale, quais são os benefícios e quais são as penalidades.

Assim, ao elaborar o estatuto da entidade, fica fácil colocar lá os artigos que vão reger a entidade.

Somente agora vocês devem partir para criar a associação.

O que normalmente acontece é que as pessoas criam a associação e depois é que vão ver o que tem que ser feito, quanto vai custar, etc.

Ai começa a espirrar o povo…cada um vai para um lado e não estão nem um pouco preocupados com o fim daquela entidade que mal começou a ser criada.

Se você precisar de ajuda na criação da entidade, vá ao nosso curso gratuito COMO MONTAR UMA INSTITUIÇÃO e faça o curso.

https://centrocapeonline.org.br/publico/cursos/#COMO

Agora é muito importante que todos os cursos gratuitos que sugerimos, sejam feitos com um grupo de pessoas. Junte no mínimo umas três ou quatro pessoas que estão interessadas e façam o curso juntas.

A IMPORTÂNCIA DO ARTESANATO PARA A INDUSTRIA BRASILEIRA.

Segundo pesquisa da Vox Populi que é realizada anualmente na Feira Nacional de Artesanato, 47% do valor da venda final é matéria prima e segundo esta mesma pesquisa, 90% desta matéria prima é adquirida na indústria.

Então, se considerarmos que o Brasil tem 8,5 milhões de artesãos e produtores artesanais que faturam em média um salário mínimo por mês, chegamos a cifra de R$ 95 bilhões que é o valor de venda anual (8,5 milhões X R$ 935 X 12 meses).

Assim, o artesão gasta R$ 45 bilhões em matéria prima, e destes ele adquire R$ 40 bilhões na indústria.

A indústria têxtil vem em primeiro lugar, seguido de material para acabamento, ferramentas e metais.

Só na Feira Nacional de Artesanato no ano passado, os artesãos presentes para vender R$ 62 milhões, compraram da indústria cerca de  R$ 26 milhões de reais. Esta compra foi feita 52% no varejo e 40% no atacado.

São números astronômicos, mas se considerarmos que estamos falando de 8,5 milhões de pessoas e 12 meses, chegaremos ao número individual de um salário mínimo por pessoas que é a média nacional. Os artesãos das grandes cidades faturam entre 3 a 4 salários mínimos e o artesão do campo menos do que meio salário.

Outro dado interessante é a escolaridade do artesão organizado. 41% tem ensino médio, e outros 41% tem ensino superior. Isto mostra como o artesanato é a opção imediata de ocupação em momentos de crise.

Cada núcleo artesanal, emprega em média 4,7 pessoas e 54% estão ligados a uma associação ou cooperativa o que leva a mesmo de forma indireta, estarem legalizados, através do CNPJ de suas instituições.

Considerando que o artesanato é hoje a pre-indústria, temos grandes exemplos de artesãos que começaram praticamente do nada e hoje estão estabelecidos até como pequena ou média empresa.

Os dados acima podem ser validados na pesquisa da Vox Populi publicada no site http://centrocape.org.br/destaques/index/pesquisa-vox-populi-perfil-artesao-brasileiro

http://centrocape.org.br/destaques/index/vox-populi-pesquisa-perfil-artesao-mineiro

Maiores informações:

Tânia machado

ccape@centrocape.org.br

031-32828313

ARTISTA PLÁSTICO

Estamos retomando o movimento da Mãos de Minas com os artistas plásticos.
Me lembrei de 1989, quando a Mãos de Minas estava começando e resolvemos fazer exposições com artistas plásticos.
Mandamos um comunicado para todo mundo para que apresentassem os trabalhos para a exposição que íamos fazer.
Não tinha muita noção disto e achava que tal qual feira de artesanato, com centenas de artistas.
Coomo começou a chegar muita coisa e eu não sabia como fazer para dividir as obras por setores resolvi chamar a Maristela Tristão para me dar uma ajuda na organização.
A primeira coisa que ela fez foi me dizer que estava totalmente equivocada e que não dava para fazer exposição em galerias com dezenas de artistas.
Disse que tínhamos que escolher no máximo 2 ou 3 e fazer a exposição com eles.
Então pedi a ela que ajudasse a escolher…
Aí vi que não entendia nada de arte…Tudo que tinha gostado ela disse que era lixo…tudo que tinha odiado ela disse que era arte pura…
Então fiquei pensando…quem compra quadros e objetos de arte…todo mundo…alguns compram porque acreditam naquela arte, mas a grande maioria são pessoas que nem eu que veem um bonito quadro que agrada aos meus olhos e gostaria de te-lo na minha parede…Não estou atras de Picassos…
Tenho quadros na minha casa de total desconhecidos…mas eu os adoro…