EU JURO, by Tânia Machado

A FICHA CAIU…

26 de março de 2010
Deixe um comentário

Hoje me dei conta que falta menos do que uma semana para o Governador Aecio sair do Governo e assumir o Dr. Anastasia…
Não que as coisas vão mudar, pois como os dois sempre trabalharam juntos, o que um fez, foi endossado pelo outro, de forma que não justifica mudanças…
Mas é estranho, pois como o tempo passa rápido…Foi outro dia mesmo que o Dr. Anastasia era coordenador da equipe de transição de governo e estive com ele, se não me engano num prédio na Av. Afonso Pena, e falei sobre a questão do artesanato que ele acabou transformando na Superintendencia de Artesanato, nos dando muito mais do que pensávamos (já escrevi sobre isto).
Outra coisa que hoje passou pela minha cabeça foi o Servas…Atuei no Servas no governo Newton Cardoso, e um pouco no Governo Eduardo Azeredo. Na gestão de Andrea Neves estive presente todas as vezes que fui requisitada ou sentia que precisavam de ajuda. Não desmerecendo a Maria Lucia e Heloisa, mas a mudança é gritante… O Servas de Maria Lucia e Heloisa era um Servas assistencialista, onde “o dar” era o mote.
Na gestão da Andrea, foi o construir…Ela sairá deixando um grande legado para Minas Gerais.
Vita Vida, Centro Solidário, CMRR (que tive o grande prazer de elaborar os manuais), Digna Idade, Vozes do Morro, Campanha Volta, Valores de Minas, Proteja nossas Crianças, Brinquedoteca, somente para citar os principais…
E continuou com o que se fazia antes que era apoio a creches e asilos…
Envolveu o empresariado, não num atendimento pontual, mas num envolvimento com os programas que hoje fazem parte da Responsabilidade Social Empreendedora das empresas, ou seja, criou um vínculo que foi muito maior do que atender a um pedido da irmã do governador…Hoje as empresas se sentem donas dos programas e responsáveis pela sua continuidade…
Tive muitas conversas com ela…a maioria boas (tive ruins também, mas fazem parte dos relacionamentos saudáveis). Sei que ela vai fazer falta, mas seu legado existirá por dezenas de anos e servirá de exemplo de que os programas sociais dos governos podem ser muito mais do que doadores de cestas básica ou pacotes de leite em pó…
Andrea, espero que voce não suma e continue a apoiar os programas de Minas Gerais com sua criatividade e coragem para realizar!

Anúncios

FELICIDADE X ESCAMBO X ANDREA NEVES

4 de julho de 2009
Deixe um comentário

Esta semana estive com a Andrea Neves no Servas, discutindo um projeto que ela me pediu para ajudar.
Aproveitando a oportunidade, mostrei a ela o texto sobre escambo que escrevi há algumas semanas no meu blog, sobre a moeda social a ser aplicada junto ao microcrédito, chamada FELICIDADE…
Sensivel como ela é, na mesma hora entendeu os beneficios que um projeto deste poderia impactar numa comunidade e me pediu que escrevesse mais sobre o projeto de forma que ela pudesse entender bem a sua legalidade e aplicabilidade nas comunidades.
Lógico que isto não é uma autorizaçao ou aprovaçao para sua implementaçao em Minas Gerais, mas já é um grande passo.
Estou em Lisboa, mas já estou aqui na Internet, pesquisando e buscando apoios de consultores de organismos internacionais na Europa que tem grande experiência neste tema.
Acho que em breve teremos mais este projeto implementado em Minas Gerais, pois se tem dado certo em centenas de lugares neste mundo afora, por que não dará certo em Minas Gerais?
Na Argentina, numa época, a moeda social foi tão forte e importante que o Governo chegou a aceitá-la no pagamento de impostos e taxas governamentais.
Que bom, achei alguém que pelo menos esta me escutando sobre FELICIDADE!


BRINQUEDOTECA – SERVAS

19 de maio de 2009
Deixe um comentário

Andrea Neves e Diretoria do sincsfac

Andrea Neves e Diretoria do sincsfac

Acabo de chegar do Servas, onde tive uma reuniao com a Dra. Andrea Neves – Presidente do Servas – entidade de assistência social do Governo do Estado de Minas Gerais, para tratar de assuntos referentes ao artesanato e desenvolvimento local.
Não tem uma vez que vou até lá que não saio encantada com o que vejo.
Primeiro presenciei o Sindicato das Facções (acho que é isto mesmo…) fazendo uma doação de milhares de cobertores de excelente qualidade que serão repassados pelo Servas para os projetos apoiados e pessoas necessitadas.
Depois estive com a Raquel e a Odete e elas estavam me mostrando o projeto Brinquedoteca. Gente, vale a pena ver e quem puder ajudar (nem sei se eles estão precisando de ajuda…). Quando se fala em brinquedoteca para escolas, hospitais, creches…pensa-se em uma grande caixa cheia de brinquedos que foram doados aleatoriamente e depois agrupados de forma que caibam dentro das caixas…Mas não. É um carrinho formado por lindas caixas de dois andares, com abertura em todas laterais e lá ta tudo organizadinho: televisão, video, videoteca, biblioteca, brinquedos…todos com o cuidado de que os materiais sejam de excelente qualidade. Os puffs para as crianças deitarem ou sentarem para brincar são de materiais laváveis e de fácil manutenção.
Realmente a forma que a Dra. Andrea Neves cuida dos projetos do Servas é unica…Não existe a preocupação com a quantidade – quanto mais for melhor, mas o mais importante é que quando viabilizado tenha realmente qualidade em todos os sentidos e durem uma eternidade.


TERRORISTA AMBIENTAL!

24 de abril de 2009
Deixe um comentário

Acabo de chegar do Centro Mineiro de Referência em Resíduos, criado por Andrea Neves, Presidente do Servas.
Sou um pouco suspeita de falar já que no inicio participei das discussões do que seria o CMRR e o Centro Cape elaborou todos os primeiros 14 manuais que são utilizados para o treinamento dos meninos e meninas que lá estão ou lá já passaram.
Mas fiquei encantada, não so com o lugar que tem uma fantasia de que é possível trabalhar a manipulação deste material, onde tudo é mágico na transformação de resíduos em materiais utilizáveis…Lá quase tudo é reciclado…mesas, pisos, cadeiras, bancos…
Vi um aquecedor solar feito de garrafa pet e saco de leite, que imediatamente pedi a Alice, que é uma das coordenadoras, para que fosse manualizado a sua construção e queria distribuir o seu conhecimento tanto no Vale do Jequtinhonha, quanto no Morro do Papagaio.
Agora, os adolescentes que estão lá são os que mais me encantaram…Eles não são tão somente alunos, eles são pessoas conscientes da responsabilidade de todos nós com as questões de minimizar resíduos e reutilizar os que são gerados.
Perguntando a uma das alunas no que mudou nela estar naquele ambiente e a resposta foi: Hoje eu sou uma terrorista ambiental…se vejo alguém jogando lixo do chão viro uma onça e já dou logo o meu recado…
Parabens Andrea Neves, aquilo se tornou em algo que mesmo eu, com todo o meu positivismo teria sonhado.
Convido a todos, prefeitos, gestores, diretores de escolas, empresários, enfim, todos cidadãos a irem lá conhecer: http://www.cmrr.mg.gov.br


VOZES DO MORRO

17 de abril de 2009
Deixe um comentário

Ontem estava escutando o CD do projeto do Servas – Vozes do Morro.
Fico encantada de como a Andrea Neves, Presidente do Servas, entidade que atua nos programas sociais do Governo Aecio Neves, tem a sensibilidade para fazer programas e projetos que levam cidania e dignidade às pessoas.
No Vozes do Morro além de terem como premiação o CD, eles, durante a seleção, podem se mostrar com toda a sua cultura e conhecimento nato, já que dificilmente algum deles passou por uma escola de música para chegar onde chegou.
Na Feira Nacional a gente sempre deu oportunidade de que grupos da periferia pudessem atuar, mas era uma coisa muito pontual. Eles iam, apresentavam e aquilo morria alí…Dificilmente eles conseguiriam algum contato futuro.
Fora isto, tem mais um monte de projetos no Servas que atua na mesma linha e que vale a pena conhecer: a Brinquedoteca, a Digna Idade, Vita Vida, Centro Mineiro de Referência de Residuos, Volta, Valores de Minas somente para citar alguns.
Apesar do nome dizer Serviço Voluntário de ASSISTÊNCIA SOCIAL, todos os projetos que lá são realizados tem uma conotação de valorização do cidadão e não uma assistência social paternalista de dar sempre.
Se voce trabalha com comunidades e tem o objetivo o respeito ao cidadão, vale a pena entrar no site do Servas (www.servas.org.br) e conhecer mais sobre os projetos.
No dia que for me afastar de meu trabalho aqui no Grupo de Desenvolvimento e puder, vou querer trabalhar lá.


O DIA QUE QUASE TUDO ACABOU…

30 de março de 2009
Deixe um comentário

27 de junho de 2007…3 horas da tarde…Recebo um telefonema do Caetano da Secretaria da Fazenda me dizendo que com a entrada da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, todos os Regimes Especiais, ao contrário do que estávamos pensando, iriam ser cancelados (havia um entendimento de como as associações e cooperativas não foram beneficiadas pela Lei Geral, os seus Regimes Especiais iriam ser mantidos).

Traduzinho, isto queria dizer que a partir de 01 de julho, ou seja, daí a 5 dias corridos os artesãos mineiros iriam passar a pagar 18% de ICMS, o que era totalmente inviável.

Fui imediatamente para a Secretaria da Fazenda e no caminho liguei para a Andrea Neves, Presidente do Servas, entidade que apoia há muitos anos a produção artesanal do Estado, para ver se conseguia um contato com o Governador Aecio Neves, pois sabia que ele estava fora do Estado.

Chegando a Secretaria da Fazenda, os técnicos já estavam trabalhando para ver, qual seria a saída dentro da legislação vigente e a que ia entrar em vigor na semana seguinte para a questão do artesanato.

Resultado final: chegou ao conhecimento do Governador Aecio Neves a situação alarmante que se mostrava e ele determinou que uma solução legal fosse dada dentro do prazo que tínhamos, pois sabia que este aumento de 3.600% no ICMS do artesanato era totalmente inviável.

Dr. José Luis – Chefe de Gabinete, Caetano, Ricardo e Vanessa da Secretaria da Fazenda conseguiram em tempo recorde, buscando na legislação existente, saidas que permitissem elaborar um Decreto, um Termo de Adesão, um Protocolo de Intenções e um Regime Especial para que em 1 de julho de 2007, todos os artesãos mineiros pudessem continuar a vender seus produtos com segurança.

Acabou que no final os produtos artesanais mineiros ganharam um competitividade de 7% no seu preço final, pois com o Simples Minas, o imposto devido não gerava crédito para a empresa compradora e agora gera.

É muito bom ser de Minas Gerais, onde sabemos que somos tratados com respeito, dignidade e cidadania e podemos confiar que o Governo estará sempre atento às nossas necessidades.