EU JURO, by Tânia Machado

MARIA OLIVIA – 1988

19 de maio de 2009
1 Comentário

Maria Olivia era a Presidente da LBA no Estado de Minas Gerais.
Foi ela que viabilizou o primeiro convênio com a Associação Mãos de Minas. Era uma projeto que se chamava Micro Unidades Produtivas. Foi um convênio pequeno que depois com a gestão de Vera Coutinho foi ampliado.
Tratava-se do financiamento ao artesão e ele pagava a LBA com produtos. A ideia era boa, mas o artesão nem sempre entendia o espírito da coisa.
Lembro um dia que fui a casa de um artesão e ví um monte de bonecas jogadas num canto. então perguntei: o que são estas bonecas?…ele respondeu…estas estão com defeito…então retruquei: mas voce pode consertá-las ou na pior das hipóteses aproveitar o material…ele respondeu…não, não se preocupe…elas servem para pagar a LBA!
Fiquei enfurecida com a falta de respeito, pois era um recurso praticamente a fundo perdido pois o artesão recebia o dinheiro, e devolvia em produtos ao preço do dia que pegou o emprestimo, sem juros e correção monetária para a LBA, numa epoca de inflação de dois dígitos e ele não se preocupava com a qualidade do produto para o pagamento.
Tanto que, quando o convênio foi renovado na gestão da LBA de Vera Coutinho, modificamos a forma de pagamento que era em dinheiro, correspondendo a X produtos. Assim se ele pegava um emprestimo que correspondia a, por exemplo, 200 bonecas deles, ao preço de venda da data e ele iria pagar em 20 vezes, cada pagamento deveria ser ao preço de 10 bonecas ao preço do dia. No final do mes, perguntávamos a LBA o que eles estavam precisando e aí compravamos, colchões, fogões, geladeira, enfim, o que fosse demandado e efetuávamos o pagamento.

Anúncios