EU JURO, by Tânia Machado

SAMIR TANUS (1988)

19 de maio de 2009
Deixe um comentário

Samir Tanus era Secretário do Trabalho e foi peça fundamental para a implementação da Mãos de Minas como associação.
Na transição do governo em deixar de ser o gestor do projeto passando para a Associação Mãos de Minas e entrar somente no apoio logistico foi importantíssimo´.
O Secretário Samir abriu as portas da Secretaria de forma que tivéssemos apoio em nosso custeio repassando recursos para aquisição de mobiliário, material de consumo, transporte de produtos e viagens a Brasilia para discutir projetos, dentre muitos outros apoios…
Ele sempre foi uma pessoa muito alegre. As portas de seu gabinete sempre ficavam abertas e lembro uma vez que estava lá e chegou uma pessoa e pediu para ele (não lembro qual era a moeda da época), tipo R$ 100,00 emprestado…Ele abriu a carteira e deu R$ 50,00. quando a pessoa saiu ele disse “acabei de ganhar R$ 50,00”. Então falei, mas como Secretário? Vi o senhor emprestando R$ 50,00. Ele então retrucou…olha, ele não vai me pagar…então como pediu R$ 100,00 e eu so dei R$ 50,00, ganhei agora R$ 50,00…
As vezes a gente saia para almoçar e eram momentos muito alegres, pois seu astral sempre foi ótimo.
Se ele não tivesse apoiado incondicionalmente a transição da Mãos de Minas de governo para associação, talvez não tivéssemos conseguido chegar onde chegamos.

Anúncios

O INICIO

4 de abril de 2009
Deixe um comentário

Quando a Mãos de Minas começou em 1988, não tinhamos nada. Eram duas mesas e quatro cadeiras. Eramos 4 pessoas e cada uma sentava numa ponta.

Na epoca, fui ao Secretario de Administração para ver se conseguia alguns móveis no Estado, então ele me mandou ao deposito de restos da Secretaria com a ordem que que podia pegar o que quisesse.

Peguei algumas mesas, mas aproveitei a oportunidade e peguei 9 aparelhos de ar condicionado que não funcionavem e 22 máquinas de escrever manuais que também não funcionavam…Ninguém entendeu o motivo deu pegar aquele “ferro velho”…

Chamei então uma empresa que mexia com máquinas e perguntei: se eu te entregar 22 máquinas que não funcionam, quantas funcionando voce me devolve? Ele respondeu: 11 – eu falei: negocio feito. Assim, tinha 11 máquinas manuais que funcionavam…Mas era terríveis, doia os dedos e era um barulho sem fim. chamei de novo o cara e perguntei…Se eu te entregar 11 máquinas manuais que funcionam, quantas máquinas eletricas usadas você me dá? Ele respondeu: 4 – falei – negocio fechado! As máquinas eram melhores, mas o barulho continuava a ser infernal…chamei ele de novo: se te entregar 4 máquinas eletricas usadas, que funcionam, quantas máquinas novas, voce me entrega: ele respondeu: uma – falei – négocio fechado…so precisava de uma mesmo…A máquina existe e funciona até hoje.

Os aparelhos de ar condicionado foram diferente: um dia entrei na sala do Secretario Samir Tanus e ele suava que nem tampa de chaleira…o ar condicionado da sala dele tinha quebrado e não tinha conserto. Conversando com o Superintendente Administrativo ele me falou que a Secretaria não tinha dinheiro para comprar uma aparelho novo – investimento, mas tinha dinheiro para consertar – custeio. Ops! Vamos fazer um negocinho? Resultado, entreguei para ele os 9 aparelhos que não funcionavam e eu e o Secretário ganhamos um aparelho funcionando…Este não existe mais, mas funcionou durante muitos anos…

Oportunidades são coisas que precisamos estar sempre atentos. elas passam de uma forma sutil e precisamos saber interpretá-las.