EU JURO, by Tânia Machado

MUDANÇA DO CENTRO CAPE/MÃOS DE MINAS

28 de julho de 2016
1 Comentário

Tem muita gente me ligando, preocupada com a nossa mudança de local.

Não se preocupem, pois o que estamos fazendo é o que ensinamos aos outros a fazerem. Replanejar, readequar, reajustar…Nada vai mudar…O Mãos de Minas, Setores de feiras, técnico, Pouso e Prosa, exportação, Jogos de Empresa, etc, continuam funcionando da mesma forma…So que ao invés dos 14 funcionários do Centro Cape e 6 da Mãos de Minas ocuparem um prédio de 1.200m2, vão ocupar um local com 300m2…

O único projeto que realmente vai fechar é o The Plant, pois não nos adaptamos ao ecossistema das Startup´s, pois discordamos da forma de subsidio dos programas,  tentamos mudar para trabalhar a Economia Criativa, que fora as feiras Singular e Fresca, que apesar do sucesso, não conseguem dar sustentabilidade e pagar os custos do espaço, o resto não deslanchou, até porque o pessoal da economia criativa não tem recursos e todas as ações que fizemos – lançamento de CD, orquestra de cordas, filmes, etc tinham que ser 100% subsidiadas.

Então, estamos simplesmente fazendo o que ensinamos: REPLANEJAR SEMPRE, READEQUAR SEMPRE, REAJUSTAR SEMPRE.

Deixa o espaço ficar pronto que convido a todos a nos visitar.


PATROCINIOS

25 de julho de 2016
Deixe um comentário

Procurar patrocínio, sempre foi uma situação difícil.

Chegar nas pessoas certas e conseguir convence-las que apoiar um segmento de mais de 8,5 milhões de brasileiros, é uma boa coisa e trabalha também a responsabilidade social, além do marketing cultural para a empresa.

So que agora, com este monte de “lava jato” em cima de patrocínio a situação esta ficando cada vez pior. É gente fazendo festa com lei Rouanet, é gente pedindo troco no patrocinio, cada dia leio uma noticia diferente nos jornais.

Aí fico mais preocupada ainda, quando as pessoas nivelam por baixo. Ou seja, se tem um bandido do patrocínio, todos também são bandidos.

Nos aqui, em todos estes anos que recebemos patrocínio, nunca tivemos um centavo desviado para qualquer outro objetivo que não fossem os aprovados na Lei de Incentivo para a Feira Nacional. A maioria dos patrocínios, como sou eu que faço a a captação, nem taxa de intermediação existe.

Mas as empresas tem que começar a separar o joio do trigo. Um patrocínio para a Feira Nacional de Artesanato, beneficia diretamente 7.000 artesãos e indiretamente mais de 20.000 se considerarmos suas famílias e as pessoas que trabalham com eles. Garantem a continuidade de diversos ofícios artesanais, quando estes artesãos tem a oportunidade de mostrar seus trabalhos, fazer vendas e contatos futuros.

Isto sem dizer que o artesanato é a opção imediata de trabalho neste momento de crise e desemprego que se encontra o país. São engenheiros fazendo sandálias, médicos fazendo sanduiche, arquitetos fazendo roupas e por aí vai. E cada um destes acaba levando consigo dois ou três ajudantes, que também passam a ter uma renda.

Se 0,001% do que dizem que já foi encontrado de roubo (R$ 100 bi) fosse aplicado no artesanato, teríamos a geração de 1.000 empregos, garantindo renda de quase R$ 5 milhões a estes artesãos durante um ano.

 


COPA DO MUNDO

26 de maio de 2014
Deixe um comentário

me fizeram o seguinte questionamento agora…

SE O BRASIL ESTA UMA MERDA COM A COPA, SEM A COPA ESTARIA DIFERENTE!!!!

Pensando bem…acho que não…teriam arrumado um motivo de roubar em outra fonte…

SERÁ QUE O CULPADO É A COPA???


COPA DO MUNDO

26 de maio de 2014
Deixe um comentário

A Copa esta chegando e estou ficando preocupada com as manifestações.

Tenho dentro do possível defendido a “FDP” da Fifa, pois vejam bem…

A Fifa não pediu para fazer a Copa aqui…Foi o Lula que foi lá e prometeu horrores, além de acatar 100% das exigências deles, não questionou nenhum e disse amém para tudo que estava no tal “caderno de exigências”.

A Fifa disse – queremos de 8 a 10 estádios, mas aí o Lula respondeu…10 não, vamos te dar 12 estádios…(ele queria dar 16, mas a Fifa não aceitou)

A Fifa disse – queremos aeroportos funcionando e seu Lula disse…vai estar tudo ok

A Fifa disse – queremos pelo menos …..vagas em hotéis e seu Lula disse…vai ter muito mais (o que os donos de hotel vão fazer com as vagas depois da Copa não sei).

A Fifa disse – todo empreendedimento num raio de “X” quilômetros dos estádios, vão ter que arrancar as suas placas, pois nos não permitimos…seu Lula respondeu…pode deixar que se eles não arrancarem eu arranco…

A Fifa disse – preciso de 200 leitos livres e desimpedidos em cada cidade da Copa a disposição da Fifa – seu Lula respondeu…pode deixar que mando estes caras fudidos para hospitais da periferia e eles que se danem por lá.

A Fifa disse – estará proibido falar as palavras Copa do Mundo, Campeões do Mundo, Copa Brasil, Worldcup, etc, quem falar uma palavra destas tem que pagar para a Fifa – seu Lula respondeu…preocupa não, ninguém vai falar nada disto, mas “gol” podemos falar?

A Fifa disse – tudo o que for faturado em nome dos jogos é da Fifa e vocês não ficam com nada…seu Lula respondeu…preocupa não, não precisamos do seu dinheiro, pois temos muito para tocar este tanto de obra…

A Fifa disse – no período dos jogos a Lei Brasileira não vai valer…o que vale é a lei da Fifa…seu Lula respondeu…pode deixar que vamos rasgar todas as nossas leis e nem quero ver as leis de vocês…to dentro…

Então, a Fifa não exigiu nada…foi seu Lula que baixou as calças e foi deixando mandar…

Ninguém pode culpar a Fifa de perversa…ela não pediu…nos que oferecemos…

Não to defendendo, so estou dizendo que ela tinha as suas regras, aceitasse quem quisesse…

Agora, os estádios estão construídos, algumas mobilidades urbanas estão ficando prontas, alguns aeroportos estão ficando prontos e destruí-los ou impedir que jogos aconteçam não vai devolver a roubalheira que foi a Copa no que diz respeito aos nosso dirigentes…

Os empresários que ficam no caminho das manifestações não tem culpa de nada…

Mesmo os equipamentos públicos, se destruídos, quem paga? Lógico que somos nós e para serem reconstruídos lá vai mais roubalheira.

Vai destruir ônibus? Pra que? Quem sai prejudicado é seu colega e seu amigo…Já viu político andar de ônibus fora o dia da inauguração da linha?

Nosso protesto tem que ser nas urnas na próxima eleição, com pena de não acharmos ninguém e termos que votar em branco, mostrando que estes dirigentes, deputados, senadores, presidente e governadores, não nos representam…

Mas também não gosto de radicalizar…Eu tenho meu candidato a Presidente, a Senador, a governador, Deputado Federal (so não tenho ainda para Deputado Estadual, pois a pessoa que voto nele há mais de 10 anos, desistiu de candidatar). São pessoas em quem confio, são pessoas que posso sentar, chegar junto e cobrar e são pessoas principalmente honestas que tenho a certeza que nunca colocaram um centavo público em seus bolsos.

Mas se voce não tem um candidato que possa realmente confiar…vote em branco…não vote em qualquer um senão nas Olimpíadas vai ser a mesma coisa e a mesma roubalheira.

O mundo já sabe que nossos governos roubaram até não poder mais em nome da Copa do Mundo. Mas o povo brasileiro ama o futebol…não podemos deixar que curtamos esta alegria nacional so para pirraçar políticos cujas contas bancárias no exterior estão transbordando de dinheiro e nosso protesto durante a Copa não vai mudar nada disto.


QUE FAÇO COM MEU EMPREITEIRO?

23 de maio de 2014
Deixe um comentário

Dia 30 de abril, foi contratado um empreiteiro para fazer uma obra de reforma dos banheiros do Centro Cape, cujo prazo em contrato era para finalizar dia 10 de maio.
Lógico que 10 de maio chegou e a obra não ficou pronta.
Hoje, 23 de maio, não esta nem na metade.
Conversando com os pedreiros que estão aqui, eles me falaram que possivelmente ficará pronto somente dia 30 de maio, pois segundo eles, não podem correr pois senão fica mal feito.
A porta de uma sala que deveria ter ficado finalizada dia 2 de abril, não esta pronta até hoje.
A rampa que eles fizeram, esta esfarelando…
Já ameacei, falei baixo, falei alto, mandei emails – que ele não responde, tentei falar nos 4 números de celular que ele deixou e nenhum atende…
Alguém tem alguma solução?


MANIFESTAÇÕES

15 de maio de 2014
Deixe um comentário

Quando houveram as manifestações no ano passado na época da Copa das Confederações, eu até aplaudi frente ao desejo de cada um se manifestar. Acho que é válido que as pessoas estando insafisfeitas possam dizer isto de forma ampla.
Ficava feliz em ver aquela meninada saindo em defesa dos mais diversos assuntos, como se tivessem indo a uma balada. Dizia até que mesmo que uma grande maioria estivesse lá pelo rolé, tinha uma parcela significativa que estava tomando consciência de que eles também eram responsáveis pelos rumos de nosso país…
Até que começaram as depredações…Aí a razão foi pelo ralo, pois não justifica a insatisfação com o preço de passagens, falta de vaga em hospitais, falta de merenda escolar digna e descontar isto no patrimônio particular de pessoas que lutaram para ter seus negócios.
Espero que nas manifestações que disseram que iria reiniciar hoje, aqueles que estão lá para demonstrar a sua insatisfação com uma passeata calma, educada, consigam refrear aqueles que estão lá pela bagunça, desordem e saque ao patrimonio alheio.


ALERTA AO ARTESÃO BRASILEIRO

12 de maio de 2014
3 Comentários

Nestes últimos 20 anos, o artesão brasileiro ganhou uma valorização que nunca teve.

Antes tratado como projeto social, junto com idosos, crianças e minorias, viu a sua figura entrar para a economia brasileira, participar de eventos nacionais e internacionais, fazendo com que decoradores, arquitetos e formadores de opinião vissem seus produtos com outros olhos, utilizando-os nos mais nobres dos espaços.

Viram revistas de decoração e cadernos de economia dos maiores jornais do país publicarem reportagens sobre a grandeza do artesão e sua participação na geração de emprego e renda e no PIB brasileiro.

Viram feiras de artesanato, que antigamente eram meros bazares se transformarem em eventos grandiosos, gerando receita para o artesão e para as cidades onde estes eventos se realizavam, com mão de obra, ocupação de hotéis, visita a shoppings e restaurantes.

Viram os produtos brasileiros serem embarcados para os cinco continentes e participarem dos mais importantes eventos internacionais em Paris, New York, Frankfurt.

Viram os produtos brasileiros ocupando as vitrines de lojas tipo Macys – EUA, El Corte Inglês – Espanha, Mujji – Japão, Galerie Lafayte – Paris.

Viram o artesão criando empresas (MEI e Simples), tendo conta bancária, emitindo notas fiscais, rodando nas redes sociais via Face Book, Sites, Twiter…

Viram o artesão ou seus filhos entrando para a faculdade, comprando carro, tirando férias pelo menos uma vez por ano.

Mas tudo isto está por acabar…

O Governo Federal, via MDIC e Apex, decidiram por acabar com o convenio que propiciava a participação do produto brasileiro em feiras do exterior, usando como desculpa o problema que a Abexa teve de um bloqueio, que no fundo foi causado pela própria Apex, quando obrigou a recém criada Abexa a aceitar um participante que a Apex sabia que tinha problemas legais, omitindo esta informação. E agora se recusa a dar continuidade ao projeto mesmo através de outras instituições.

A Secretaria de Micro e Pequena Empresa – Programa de Artesanato Brasileiro, ao invés de apoiar os eventos do artesanato já existentes (leia-se Curitiba, Brasília, Belo Horizonte e Recife), decide por fazer na mesma data da Feira Nacional de Belo Horizonte um evento em São Paulo, numa concorrência totalmente desleal, já que este evento poderia ser feito numa outra data ou mesmo no norte do país onde não existe ainda um evento de grande porte para o artesão nortista.

A Secretaria de Micro e Pequena Empresa, desconhecendo a realidade hoje do artesão, decide por defender de que “artesão não precisa mais emitir nota fiscal e que o imposto deve ser diferido quando da venda a contribuinte, ou seja, quem paga é o lojista”, com a alegação de que o lojista não tem tanta importância assim no escoamento da produção artesanal, fazendo assim com que o produto artesanal tenha uma perda de 18% de competitividade. Isto fará com que os produtos importados da China e África, cheguem cada dia mais em nossas prateleiras (você se lembram da Tok Stock de 10 anos atrás? Voltem lá e veja que hoje mais de 50% dos produtos são Made in China e isto está se repetindo em muitas lojas tradicionais de venda de artesanato)

O Ministério da Cultura, abre um concurso para a venda de produtos na Copa, incentivando o artesão a produzir e depois deixando grandes nomes fora da venda dos espaços. Como se não bastasse, o artesão deverá enviar seus produtos por conta própria, consignados, para serem pagos depois da Copa, com todo o risco por conta dele.

Querem fazer com que o artesão volte a ser um projeto social. Querem determinar o que é artesanato ou não, através de pessoas que nunca pegaram num serrote ou uma agulha para fazer qualquer trabalho e acham que artesanato é somente aqueles produtos feitos da mesma forma pelos nossos avós e bisavós, quando não existia a tecnologia de hoje que querem negar ao artesão.

Não querem que o artesão cresça enquanto cidadão, pois imagine o que seriam 8,5 milhões de brasileiros organizados e participando ativamente da economia.

Querem que você volte a ser dependente do estado em tudo e para tudo.

Você quer voltar para 1994?


POR QUE AS PESSOAS NÃO CUMPREM PRAZO?

10 de maio de 2014
Deixe um comentário

Estou com a obra aqui no Centro Cape, onde fiz um cronograma, discutindo com todos os fornecedores e com exceção da empresa que esta cuidando do tratamento do chão, ninguém cumpre prazos.
O banheiro não ficou pronto, a descida da rampa não ficou pronto, a troca de porta do lugar não ficou pronto, os orçamentos de compra dos móveis não chegaram na data decidida, enfim…nada funciona.
Eu não sei se sou chata, mas tem uma coisa que não gosto é não cumprimento de prazos, horários, dtas, etc.,
Se tenho uma reunião, estou a caminho e vi que o trânsito agarrou e vou chegar 5 minutos atrasada, pego o telefone e ligo avisando…
Se prometi entregar alguma coisa num prazo x, viro o mundo para cumprir o que prometi e se por acaso vejo que posso atrasar, antes de vencer o prazo ligo pra pessoa e aviso o que esta ocorrendo.
Mas a maioria das pessoas não age assim…


Publicado em Uncategorized
Tags:

AS APARÊNCIAS ENGANAM

8 de maio de 2014
Deixe um comentário

Desde que troquei meu celular por um 4S, ele não fala direito quando estou sentada na minha mesa. Só funciona se eu ficar encostada na janela da minha sala.

Como eu fumo muito, to sempre lá falando no celular e com um cigarro na mão…

Ai vejo as pessoas passando na rua e fico imaginando que elas estão pensando…”coitado do patrão desta moça, ela passa o dia na janela falando no celular e fumando…”


EXPORTAÇÃO DE ARTESANATO

8 de maio de 2014
Deixe um comentário

Esta publicado no nosso site o resultado da pesquisa de percepção do artesão sobre exportação.
Nos preocupa muito o resultado, pois resumindo 100% dos que responderam, querem exportar.
Entretanto, a quase totalidade não tem site e nem material em ingles.
A quase totalidade não conhece os termos Exworks, CIF, Fob, Radar…
A quase totalidade acredita que trading e comercial exportadora são figuras diferentes…
A quase totalidade tem um faturamento anual de R$ 24.000,00.
Não é que queiramos desanima-los e dizer que não devem pensar em exportação, mas antes disto a preparação tem que ser muito grande e o conhecimento do que é exportar tem que ser adquirido, para que possamos atender ao cliente lá fora com qualidade e caso se mantenha a decisão de querer exportar eles tenham dominio do que devem fazer. Não é que o artesão tenha que ser um exportador. Para isto existem empresas que fazem, mas eles tem que conhecer os termos, o que significam e qual a consequência do seu não cumprimento.


UFA!!!

7 de maio de 2014
Deixe um comentário

Iche…fiquei dois dias sem escrever…
Ainda bem que não tenho uma coluna no jornal ou revista que me obrigue a escrever todos os dias…não é fácil ter inspiração para escrever sempre algo que voce (nem sempre os outros…), mas voce ache interessante.
Fiquei aqui pensando o dia todo o que escrever…aí, agora, 7:40 da noite, fiquei analisando o meu dia…
Tive que gerenciar conflitos entre funcionários…
Tive que gerenciar questionamentos de pessoas que quando perguntei se elas estavam participando daquilo que estavam questionando elas disseram que não tiveram tempo ainda…
Tive que gerenciar pedreiros, empreiteiros que me prometeram uma obra pronta no sábado e não vai ficar pronta…
Tive que gerenciar 4 funcionários que ou não vieram ou tiveram que sair mais cedo pois tiveram problemas de saúde com si próprios ou com familiares…
Tive que gerenciar outros 3 funcionários que estavam fora num evento que estamos participando…
Tive que gerenciar funcionários que fingem estar trabalhando e ficam fuxicando a Internet o dia todo…
Vou pra casa agora…ver o MEU CRUZEIRO, ganhar o vôlei no campeonato mundial e MEU CRUZEIRO ganhar o jogo pela Libertadores…
ENFIM…EU MEREÇO…


Publicado em Uncategorized
Tags:

DIFERIMENTO DE IMPOSTO PARA O ARTESANATO

5 de maio de 2014
1 Comentário

Muitas pessoas tem me perguntado sobre a questão do imposto diferido.
O que é imposto diferido? Quem produz e vende NÃO PAGA O IMPOSTO, mas ele NÃO É ISENTO, o pagamento é transferido para o lojista que quando vender o produto deverá paga-lo na íntegra, ou seja 18% de ICMS.

Hoje como funciona?

Alguns estados isentam o artesão do IMPOSTO, e estes quando vendem para os lojistas, o lojista atua dependendo da sua formatação jurídica – se for simples, dentro dos percentuais do simples, se for débito e crédito, não existe crédito, porque o produto é isento, aí o lojista paga de acordo com a sua taxação.

Alguns estados, tal qual Minas Gerais, dão ao artesão não a isenção, mas trabalham com o débito e o crédito e uma redução da base de cálculo e um crédito resumido. O que é redução da base de cálculo – o artesão deveria pagar por exemplo, 12% para vender para São Paulo, mas o governo dá um desconto neste “imposto que deveria pagar” reduzindo-o para 7% e como o artesão tem dificuldade de ao adquirir a matéria prima e usarmos o ICMS gerado, para abater do 7%, ele dá um “crédito presumido”, ou seja, ele “imagina” que o artesão teria de crédito em média 4% e aí dá mais este desconto. Neste caso, existe um destaque de 7% do imposto, mas o artesão so paga 3%, mas o lojista que trabalha com débito e crédito, utiliza para abater no imposto que ele vai pagar quando vender o produto 7%.

Com o diferimento, como ficariam as contas:

Um lojista do Simples, com faturamento até R$ 3 milhões, hoje compra o produto do artesão, por exemplo por R$ 20,00 e vende por R$ 45,00, ele paga sendo Simples um percentual sobre o seu faturamento no qual está embutido todos os impostos, ICMS, obrigações patronais, Pis, IPI, ISS, etc que variam de 5% até 10%. No caso entretanto de ser implantado o imposto diferido, indiferente da formatação jurídica do lojista ELE TERÁ QUE PAGAR MAIS 18% DE ICMS, sobre o produto vendido, além do percentual fixo que já trabalha.

Nos lojistas que trabalham com débito e crédito, ele deixará de receber o crédito de 7% e terá que pagar 18% de ICMS.

Ou seja, os produtos vão perder a competitividade no mercado.

Quando tentei argumentar com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa do Governo Federal, a resposta foi de que o artesão não precisa do lojista, pois a sua clientela de lojistas é muito pequena, demonstrando um total desconhecimento do setor.

O artesão e o artista hoje estão se organizando cada vez mais, indiferente de seu contexto sócio econômico. Se ele ficar desorganizado e tratado de forma paternalista, como acontecia na década de 80, acabará por cair nas mãos dos atravessadores que há algumas décadas oprimia e explorava o artesão.

Não se enganem com esta história de diferimento em que o governo estaria sendo bonzinho ao eliminar o imposto da responsabilidade do artesão. Artesão e artista brasileiro não são clientela do Bolsa Familia que necessitam de serem assistidos – mesmo assim, acredito que tenha muito cliente do Bolsa Familia que também é artesão e não irá se beneficiar em nada deste tratamento totalmente inverso a competitividade do mercado, que eliminará de vez o produto artesanal do comércio brasileiro.

Por isto sou contra e vou lutar com todas as minhas forças de que isto não aconteça, mas preciso que vocês também se manifestem, conversem com seus pares, discutam e tomem um posicionamento a favor do mercado.


SO OS ESTADIOS FICARAM PRONTOS

3 de maio de 2014
Deixe um comentário

Não sei nas outras cidades do Brasil, mas aqui em Belo Horizonte…

O aeroporto não vai ficar pronto
O acesso ao aeroporto não vai ficar pronto
a lagoa da Pampulha não vai ficar pronta.
O sistema integrado dos onibus não vai ficar pronto.
Será que o sistema hospitalar esta preparado?

Tirando o Mineirão, o que ficou realmente e totalmente pronto para a Copa, como disseram…nosso legado?

Terminando a Copa quando é que as obras inacabadas vão finalizar?


EU VOLTEI…AGORA PRA FICAR…POR QUE AQUI…AQUI É MEU LUGAR!

1 de dezembro de 2009
Deixe um comentário

Gente…sumi, né…
Mas como diz a letra da musica…eu voltei…agora pra ficar…por que aqui, aqui é meu lugar…
É que não estou numa fase muito boa para continuar ser Poliana, mas também…ninguém guenta ser Poliana o tempo todo…
To numa fase repensando tudo o que tem sido a minha vida nos últimos tempos…ta bom que é a vida que eu criei, mas tudo tem um limite…
A alguns tempos atras eu era briguenta, peitava todo mundo, xingava não interessava a quem…com o tempo, fui vendo que muitas pessoas começaram a pegar pesado comigo então achei que tinha que ficar mais light.
O que aconteceu…os que eram contra mim, continuaram contra mim, mas os novos que chegaram, como eu não me impunha, passaram a desprezar, pois para a grande parte das pessoas, quem trabalha com artesanato é hippie, irresponsável, não merece ser levado em consideração.
A seguir, vou postar algumas coisas muito boas, mas algumas bem ruins…não se preocupem, ainda continuo um pouco Poliana, mas uma Poliana adolescente que tem momentos de revoltas…


FEIRA NACIONAL DE ARTESANATO (II)

30 de março de 2009
4 Comentários

Há muitos anos atrás, quando a Feira Nacional ainda acontecia no Minascentro, precisava de ajuda para pagar o aluguel do espaço.

Fiz então 15 cartas, igualzinhas e fui para a ante sala do Governador na época e começei a pedir a todas as pessoas que estavam com audiência marcada que se fariam a gentileza de entregar minha carta a ele.

Entreguei para 12 (doze) pessoas e fiquei lá de plantão. No final da tarde, o Governador mandou me chamar e quando entrei na sala dele, ví 11 (onze) cartas espalhadas em cima da sua mesa.

Ele então me disse: Tânia, qual que voce quer que eu atenda? Eu disse: escolhe uma Governador e rasgue as outras 10 (dez)…

Até hoje, sou curiosa de saber quem foi a pessoa que entrou no gabinete do Governador e NÃO entregou a minha carta!